domingo, 31 de outubro de 2010

Este blog felicita Dilma Rousseff, a primeira mulher presidenta do Brasil!


Não foi o que eu queria. Mas a maioria optou por Dilma Vana Rousseff. E democracia é isso. A gente respeita. Me somo agora aos milhões de brasileiros, que confiaram na candidata petista, para torcer - e cobrar também - por um país melhor, por um Brasil mais justo. 

Boa sorte ao Brasil! Parabéns pra Dilma!

Por que a vitória de José Serra é a vitória do governador Eduardo Campos?


Bom dia a todos!

Bem, não sou cego, nem doido, estúpido ou abestalhado a ponto de não perceber que o Governo Lula fez muito pelo Brasil, especialmente pelo Nordeste. Contudo, em 1995, recordo-me, também, com muita clareza que foi FHC quem pegou esse transatlântico à deriva e deu a ele GPS, bússola para consolidar o rumo.

FHC fez as grandes reformas político-sociais desse país. Os dados compravam isso. Lula executou muitas delas, agora colhe os frutos. Seja Dilma ou Serra o próximo presidente, quem lá estiver terá maiores e melhores condições de ampliar ainda mais essa colheita. E, sinceramente, no macro, não vejo lá muita diferença entre ambos.

Entretanto, tenho cá comigo as minhas restrições: quando se fala em estado meritocrático, quando se compara currículos, quando se coteja as histórias... Serra apresenta-se diferenciado. Nesse ínterim, José Serra dispara campeão. Será, portanto, a meu ver, uma das maiores injustiças com o Brasil não tê-lo como nosso próximo presidente. Mas o que fazer?!

Caso se confirme a vitória da sr.ª Dilma Vana Rousseff, torcerei para que ela realize um bom governo. E creio que terá tudo nas mãos para concretizá-lo. Condições terá para isso: um congresso ajoelhado e, na retaguarda, o charme de um ex-presidente - com popularidade nas nuvens - distribuindo palpites.

Mas, tratando o tema sob a ótica da província, revelo aqui uma convicção. Paradoxalmente ao que se prega, um eventual Governo Serra seria o melhor para Pernambuco - que não tem apenas alguém jovem e carismático em seu comando. Mais que isso: possui, sobretudo, o presidente de um partido com aspirações nacionais, e que sai desse pleito fortalecido.

Qual é a leitura? Simples: o governador Eduardo Campos tem poder de barganha (estados estratégicos governados pelo PSB e capilaridade na Câmara e no Senado) e Serra deseja governar bem para acabar com essa ideia de jirico de que ele não governará olhando para os recantos mais pobres, tampouco para o Nordeste.

Caso Dilma vença, creio que o sonho de Eduardo, de no futuro lançar-se nacionalmente, inviabiliza-se. A começar por Pernambuco. Contra ambições notórias do PT de Humberto Costa ao Palácio do Campo das Princesas, em 2014, Dudu não encontrará em seu partido, o PSB, outro nome que se contraponha.

A presidenciável Dilma já deu a entender, caso vença (é bom que se diga), que não deseja ser reeleita.  Mas, nunca se sabe! Conhecem a história que diz que quando a mosca azul sobrevoa os ombros, entontea?! Pois é. Mas, mas, mas..., acreditemos! Confiemos em sua palavra de mulher presidenta, que por sinal, deve ser sagrada!

Acho pouco provável que o criador não se imponha diante de sua criatura. Então, na espreita, teremos novamente o espertíssimo Lula com aquele cinematográfico papo de retirante em pau-de-arara. Compondo a chapa de vice...? Bem, alguém duvida de que a vaga não permanecerá com o fisiologismo peemedebista? 

Voltemos para o pleito de agora! Dilma está comprometida em cumprir o trato com o PMDB oportunista. E caso tenha a pachorra de não ajudar os amigos - Sérgio Cabral, Renan Calheiros, Collor de Melo, Michel Temer, José Sarney e Jader Barbalho - verá sua maioria - artificial, diga-se de passagem - diluída. 

Está claro que o Partido dos Trabalhadores não pretende se contrapor à política velha e maniqueísta. É evidente a tática deplorável do bunker de José Dirceu, Dilma e Lula: exterminar adversários e cooptar aliados como quem compra o sexo das 'raparigas'. E Eduardo? Ah... o bonde já terá passado. Lamentavelmente Dudu terá perdido o time.

Caso Serra ganhe, não. Não mesmo! Como condição sine qua non para a governabilidade tucana, a jovem e promissora figura de Eduardo Henrique Accioly Campos ampliará o seu protagonismo e, juntamente com Aécio, tornar-se-á em opção política nacional para pleitos futuros. Approach e Pedigree não faltam a ambos.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O analista político Marcelo Teixeira diz que Dilma perde as eleições neste domingo


do blog do Jamildo

O publicitário Marcelo Teixeira, da empresa Makplan e que já trabalhou para tucanos e petistas pelo Brasil, analisou os últimos números da pesquisa Datafolha e diz que Dilma pode até ganhar as eleições, mas que as chances maiores de vitória são do candidato tucano José Serra. Quando todo mundo dizia que Dilma levaria no primeiro turno, em entrevista exclusiva ao Blog de Jamildo, analisando os mesmos dados do Datafolha, ele antecipou que haveria turno.

Lula não conseguiu fazer a candidatura dela decolar. Ela é ruim de palanque e mesmo com o apoio quase totalitário não deslanchou nas urnas”, declara.

O marqueteiro vê muita semelhança do atual cenário com os números do primeiro turno, quando a candidata oficial tinha 50% dos votos, segundo as pesquisas mais confiáveis, mas não obteve nas urnas os 50% dos votos, mesmo com o apoio de um amplo leque de políticos da situação.

Serra tem todas as chances de vencer as eleições porque Dilma, mesmo com a popularidade de Lula, mesmo com toda a capilaridade de sua campanha no primeiro turno, não conseguiu subir nada e está com os mesmos 50% do primeiro turno. Em São Paulo, por exemplo, ela tinha três candidatos a governador pedindo votos para ela”, observa.

O analista político cita que Serra tem chances enormes de mudar o placar porque, no Sudeste, por exemplo, existem cerca de 7% dos indecisos.

Numa comparação rápida, o marqueteiro cita que a votação da petista gira em torno dos 62% no Nordeste e que Lula teve 77% nas pesquisas.

A sua tese principal, assim, é que só São Paulo pode tirar os votos de vantagem de Dilma no Nordeste. Isto pode até ajudar a explicar a preocupação do presidente Lula de encerrar a campanha da petista no Recife, na data de hoje. “Desde Franco Montoro, passando por Covas e depois os tucanos mais novos, eles nunca tiveram menos de 60% contra Lula. E Dilma não é Lula”, frisa.

Apontado como um dos principais colégios eleitorais, Minas Gerais, na avaliação do observador da cena política nacional, dará vitória ao tucano. “Ela está 4% ainda na frente, mas vai perder lá. O mineiro não vota no PT. Agora não vai ter cabo eleitoral como no primeiro turno. O eleitor vai vair para votar em um, no outro, ou branco ou nulo. A abstenção será enorme e Dilma não é Lula, ela é pesada”.

Na sua avaliação, um dos fatores que deve prejudicar Dilma com muita intensidade são as abstenções. Ele diz que isto pode reduzir a sua esperada votação no Nordeste para até 60% do que está previsto. “Em um universo de 36 milhões de eleitores, no segundo turno, Lula e Alckmim tiveram apenas 25 milhões de eleitores. Cerca de 11 milhões de eleitores deixaram de comparecer. E olha que era gente que segurava bandeirinha e era Lula desde sempre. Só que Dilma não é Lula e a votação de votos em disputa pode cair para 20 milhões de votos no Nordeste”, observa.

(Deus te ouça!)

Hoje tem Plínio no debate


Hoje, o debate da Globo é entre Dilma e Serra. Mas quero recomendar os petardos quase sempre muito lúcidos, pelo twitter, do grande Plínio. Político de ideias radicais - como a moratória - e de tom muitas vezes folclórico, o candidato à Presidência pelo PSOL teve votação muito aquém da sua inteligência. Uma prova insofismável e sintomática de como anda o nível do eleitorado brasileiro.

Vigiando pela TV os últimos confrontos e promovendo, por uma twitcam, os seus coices, Plínio de Arruda Sampaio (@pliniodearruda) não poupa os seus alvos (Serra e Dilma) e prega o voto nulo. Particularmente, de tal proposta eu discordo e, como só temos agora duas opções, optei por fugir da tendência - muito em moda - de viés populista, demagógico, debochado, assistencialista e autocrático. Aí sobrou o Serra!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Pra me conquistar, o voto em Serra é requisito!


A menos de 72h das eleições, o presidenciável José Serra sugeriu hoje em Minas uma espécie de corrente junto ao eleitorado.  Para o tucano, a despeito das recentes pesquisas eleitorais compradas, ainda há tempo.

"Que cada eleitor consiga pelo menos um voto. (...) Se for moça bonita, tem que conseguir 15 votos; é muito fácil, faz uma lista de pretendentes e manda e-mail para cada um deles, dizendo que terá mais chance quem votar no 45."

Interessado na descontrução do engodo lulopetista, deixei o orgulho de lado e resolvi dar uma chance para que Ísis Valverde, Débora Falabella e Tammy di Calafiori, finalmente, falem quais são - em relação a mim - os seus planos.

Mas fui logo avisando: Pra me conquistar, o voto em Serra é requisito básico.

Aglaílson Jr. articula nos bastidores para assumir a 1ª secretaria da Alepe


Conforme noticiou hoje Marisa Gibson, colunista do caderno de Política, do Diário, o deputado reeleito Aglaílson Júnior (PSB) pode entrar na disputa pela secretaria, o cargo mais cobiçado da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. No início da legislatura, Júnior tentou concorrer ao cargo mas recuou para apoiar a recondução de João Fernando Coutinho, seu companheiro de partido.

Conforme ainda a articulista do DP, cobiçam a cadeira os deputados Raimundo Pimentel (PSB) e André Campos (PT), sem contar que João Fernando Coutinho (PSB) gostaria de ser reconduzido ao cargo. Por enquanto, dentro da Assembleia, tem mais gente torcendo por Pimentel. Agora, Aglaílson Júnior é amigo de Dudu e foi um dos cabos eleitorais responsáveis pelo sucesso de Ana Arraes nas urnas.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ruth Rocha teve o seu nome incluído, sem autorização, na lista de intelectuais da Dilma


A escritora Ruth Rocha teve o seu nome incluído, sem autorização, na lista de intelectuais que apóiam a candidatura da Dilma Rousseff à Presidência, publicada pelo PT. A autora de "Marcelo, Marmelo, Martelo" fez questão de gravar um depoimento para desfazer qualquer mal-entendido e declarar o seu voto: "Minhas convicções democráticas me levam a acreditar no PSDB. Declaro o meu voto para José Serra. Acho que o José Serra vai fazer um grande governo e acho que ele vai ganhar a eleição!"

Confira!

Veja o que o FHC disse sobre o seu governo e o de Lula, em "Sem medo do passado"


O presidente Lula passa por momentos de euforia que o levam a inventar inimigos e enunciar inverdades. Para ganhar sua guerra imaginária, distorce o ocorrido no governo do antecessor, autoglorifica-se na comparação e sugere que se a oposição ganhar será o caos. Por trás dessas bravatas está o personalismo e o fantasma da intolerância: só eu e os meus somos capazes de tanta glória. Houve quem dissesseo Estado sou eu”. Lula dirá, o Brasil sou eu! Ecos de um autoritarismo mais chegado à direita.

Lamento que Lula se deixe contaminar por impulsos tão toscos e perigosos. Ele possui méritos de sobra para defender a candidatura que queira. Deu passos adiante no que fora plantado por seus antecessores. Para que, então, baixar o nível da política à dissimulação e à mentira?

A estratégia do petismo-lulista é simples: desconstruir o inimigo principal, o PSDB e FHC (muita honra para um pobre marquês…). Por que seríamos o inimigo principal? Porque podemos ganhar as eleições. Como desconstruir o inimigo?

Negando o que de bom foi feito e apossando-se de tudo que dele herdaram como se  deles sempre tivesse sido. Onde está a política mais consciente e benéfica para todos? No ralo.

Na campanha haverá um mote – o governo do PSDB foi “neoliberal” – e dois alvos principais: a privatização das estatais e a suposta inação na área social. Os dados dizem outra coisa. Mas os dados, ora os dados… O que conta é repetir a versão conveniente. Há três semanas Lula disse que recebeu um governo estagnado, sem plano de desenvolvimento. Esqueceu-se da estabilidade da moeda, da lei de responsabilidade fiscal, da recuperação do BNDES, da modernização da Petrobras, que triplicou a produção depois do fim do monopólio e, premida pela competição e beneficiada pela flexibilidade, chegou à descoberta do pré-sal.

Esqueceu-se do fortalecimento do Banco do Brasil, capitalizado com mais de R$ 6 bilhões e, junto com a Caixa Econômica, libertados da politicagem e recuperados para a execução de políticas de Estado.

Esqueceu-se dos investimentos do programa Avança Brasil, que, com menos alarde e mais eficiência que o PAC, permitiu concluir um número maior de obras essenciais ao país. Esqueceu-se dos ganhos que a privatização do sistema Telebrás trouxe para o povo brasileiro, com a democratização do acesso à internet e aos celulares, do fato de que a Vale privatizada paga mais impostos ao governo do que este jamais recebeu em dividendos quando a empresa era estatal, de que a Embraer, hoje orgulho nacional, só pôde dar o salto que deu depois de privatizada, de que essas empresas continuam em mãos brasileiras, gerando empregos e desenvolvimento no país.

Esqueceu-se de que o país pagou um custo alto por anos de “bravata” do PT e dele próprio. Esqueceu-se de sua responsabilidade e de seu partido pelo temor que tomou conta dos mercados em 2002, quando fomos obrigados a pedir socorro ao FMI – com aval de Lula, diga-se – para que houvesse um colchão de reservas no início do governo seguinte. Esqueceu-se de que foi esse temor que atiçou a inflação e levou seu governo a elevar o superávit primário e os juros às nuvens em 2003, para comprar a confiança dos mercados, mesmo que à custa de tudo que haviam pregado, ele e seu partido, nos anos anteriores.

Os exemplos são inúmeros para desmontar o espantalho petista sobre o suposto “neoliberalismo” peessedebista. Alguns vêm do próprio campo petista. Vejam o que disse o atual presidente do partido, José Eduardo Dutra, ex-presidente da Petrobras, citado por Adriano Pires, no Brasil Econômico de 13/1/2010.
Se eu voltar ao parlamento e tiver uma emenda propondo a situação anterior (monopólio), voto contra. Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 milhões de barris de reservas. Dez anos depois, produz 1,8 milhão por dia, tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela”. (José Eduardo Dutra)

O outro alvo da distorção petista refere-se à insensibilidade social de quem só se preocuparia com a economia. Os fatos são diferentes: com o Real, a população pobre diminuiu de 35% para 28% do total. A pobreza continuou caindo, com alguma oscilação, até atingir 18% em 2007, fruto do efeito acumulado de políticas sociais e econômicas, entre elas o aumento do salário mínimo. De 1995 a 2002, houve um aumento real de 47,4%; de 2003 a 2009, de 49,5%. O rendimento médio mensal dos trabalhadores, descontada a inflação, não cresceu espetacularmente no período, salvo entre 1993 e 1997, quando saltou de R$ 800 para aproximadamente R$ 1.200. Hoje se encontra abaixo do nível alcançado nos anos iniciais do Plano Real.

Por fim, os programas de transferência direta de renda (hoje Bolsa-Família), vendidos como uma exclusividade deste governo. Na verdade, eles começaram em um município (Campinas) e no Distrito Federal, estenderam-se para Estados (Goiás) e ganharam abrangência nacional em meu governo. O Bolsa-Escola atingiu cerca de 5 milhões de famílias, às quais o governo atual juntou outras 6 milhões, já com o nome de Bolsa-Família, englobando em uma só bolsa os programas anteriores.

É mentira, portanto, dizer que o PSDB não olhou para o social”. Não apenas olhou como fez e fez muito nessa área: o SUS saiu do papel à realidade; o programa da aids tornou-se referência mundial; viabilizamos os medicamentos genéricos, sem temor às multinacionais; as equipes de Saúde da Família, pouco mais de 300 em 1994, tornaram-se mais de 16 mil em 2002; o programa “Toda Criança na Escola” trouxe para o Ensino Fundamental quase 100% das crianças de sete a 14 anos. Foi também no governo do PSDB que se pôs em prática a política que assiste hoje a mais de 3 milhões de idosos e deficientes (em 1996, eram apenas 300 mil).

Eleições não se ganham com o retrovisor. O eleitor vota em quem confia e lhe abre um horizonte de esperanças. Mas se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Procura-se!


Recebi e-mail do poeta Jorge Filó, que foi logo recomendando: "espero que este artefato tão perigoso, não tenha zurzido a sua massa encefálica". Risível! Compartilho.

A José Serra

Nasceu planta, foi madeira
E tão logo foi cortada
Depressa foi transportada
Pra transformação primeira.

Ficou de outra maneira
Pois foi toda picotada
E a serragem transformada
Em papel de prateleira.

Daí seguiu pra o escritório
Pra escola ou pra o cartório
O seu destino fiel.

Porém não seguiu ditosa
E virou uma criminosa
Bola bomba de papel.

Fotos espontâneas da Dilma (10)

Ao twitter, Dilma posa com um riso tão verdadeiro quanto ela

Fotos espontâneas da Dilma (9)

Dilma não está fazendo personagem. Cultura afro é um de seus hábitos

Fotos espontâneas da Dilma (8)

Collor beija a mão de Dilma, que por sua vez mostra capacidade de diálogo

Fotos espontâneas da Dilma (7)

Dilma usa púlpito da Assembleia de Deus para levar a mensagem do Cristo

Fotos espontâneas da Dilma (6)

Em "turismo", no carnaval do Rio, Dilma mostra que "tem" samba no pé

Fotos espontâneas da Dilma (5)

Agora, a pupila de Lula aparece em templo evangélico. O objetivo: o diálogo!

Fotos espontâneas da Dilma (4)

No Pelourinho, Dilma abraça com desprendimento a boa baiana

Fotos espontâneas da Dilma (3)

Em Aparecida, candidata Dilma Rousseff mostra-se uma católica devota

Fotos espontâneas da Dilma (2)

Foliã do Galo, como de costume, Dilma mostra toda a sua pernambucanidade

Fotos espontâneas da Dilma (1)

Candidata Dilma Rousseff mostra que gosta de criancinhas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Identificado o petista que agrediu José Serra, em Campo Grande, no Rio


Lúcio Neto é publicitário e também blogueiro, muito do curioso - diga-se de passagem. Hoje, em seu blog, publicou a verdadeira face dos agressores do candidato tucano. Segundo ele, foram horas analisando, frame a frame, os três vídeos disponíveis sobre a agressão. Uma missão quase impossível: detectar o agressor e o objeto em meio a uma multidão.

É possível adiantar que Sandro Mata-Mosquito (este senhor simpatissíssimo, da direita, que aparece abraçado ao nosso presidente), e que vem a ser Secretário Geral do SINTSAÚDE Sindicato dos Trabalhadores em Combate as Endemias e Saúde Preventiva do Rio Janeiro, está entre os petistas agressores. 

O outro que é visto batendo no peito do sr. Luiz Inácio Lula da Silva (É isso aí, camarada!) é o, também diretor do mesmo sindicato, José Ribamar de Lima, cidadão que protagoniza uma das cenas que horripilam, quando afrontou militantes de Serra, no Rio. Recomendo um clic no blog do Lúcio. Lá, o incidente pode ser analisado em detalhes.

Geisy Arruda tira a roupa, se empolga e agora quer fazer Jornalismo


A ex-estudante da Uniban, de 21 anos, posou para a edição de novembro da revista Sexy, conforme já fora noticiado aqui neste blog, em Punta del Este, Uruguai. A loira vai aparecer despindo o vestido rosa que a tornou 'celebridade'. 

A respeito dos ex-colegas de faculdade, Geisysinha riu: "Pensaram que estavam me fazendo mal - e fizeram, muito - mas hoje devem se arrepender. Se não fosse por eles, talvez eu não estivesse aqui".

Para tirar a roupa, a gazela - ainda debutante no universo do show business - cobrou o cachê módico de R$ 300 mil. Sobre o futuro incerto, Geisy Arruda diz pretender retomar logo os estudos. Quer porque quer cursar Jornalismo.

E eu, já tô aqui doidinho, com a moléstia dos cachorros, com a mão no bolso para não perder os trocados, ansioso para ver as reportagens dessa moça que, quiçá, a cada notícia dada em horário nobre, tire - devarinho - uma peça de roupa! 

Hoje, às 22h, tem debate na Record


sábado, 23 de outubro de 2010

De farsa, Lula entende


Ninguém tem dúvida de que Lula é o cara! Sua voz rouca arrebata multidões. O retirante de Caetés (interior pernambucano), como costumamos dizer, aqui no Nordeste, com pessoa muito esperta: é ninja!, e, quando mente, mente tão fingidamente que chega a convencer-nos de que a mais descarada mentira é a pura "verdade".

Caso Lula gostasse de ler, diria que o poeta português Fernando Pessoa exercera sobre ele alguma influência. Mas Lula não gosta. Então, sinceramente, não sei dizer de onde veio esse montepio, esse fenótipo, essa herança.

De qualquer forma, admito que estou besta! Lula é mesmo verossímil. 

Entretanto, quero mesmo é, aqui, lançar luz sobre uma velha desconfiança: Lula perdeu o dedo mínimo ainda quando era metalúrgico em São Bernardo do Campo - cidade rica do interior de São Paulo. O coitado perdeu o dedinho numa prensa!

Quem sabe o que é prensa, sabe também que é pouco provável que alguém, sobretudo um operário (que entende da operacionalização de tal máquina), chegue a decepar o dedo mindinho. Pois é, mas aí entrou em cena Luiz Inácio da Silva - que em farsas, tornou-se especialista.

Segundo peritos, acidentes desse tipo mutilam sempre o indicador e, ou, o polegar. Mas com Lula, não! Sabe como é... ele sempre dá um jeito de descartar logo as coisas que pouco  lhe apraz, as coisitas indigestas que pretere, ou que, por alguma razão, ao acordar mau humorado e indispoto,  ordena aos súditos: Vai! Desusa! 

(foi assim com o Delúbio, foi assim com o Genoíno, está sendo assim com o José Dirceu..., todos em estado de conservação, guardadinhos na geladeira).

Há quem simule acidentes para ganhar apólices e aposentadorias por invalidez. O que, inclusive, é ato criminoso e requer de quem o faz muita cara-de-pau, cinismo, altíssimo grau de preguiça, má fé e malandragem. Mas Lulinha o fez, não apenas para ganhar benefício do INSS, mas também para - em passando-se por coitadinho - chegar à Presidência.

Sei que não dá para convencer os lulopetistaloprados. Nem minha intenção é esta.

Mas a verdade é que o rei está nu. E como é feia e tenebrosa a imagem! O rei Lula passou o seu reinado inteirinho mentindo, encastelado e protegido pelo marketing da falácia e, como se fosse em mitologia grega, montando sua grande farsa: a - antes - terrorista Dilma Vana Rousseff, que agora - afável e toda mãe - canta canções de ninar, como se nós - eleitores - fôssemos todos manipuláveis, fôssemos todos crianças.

Já nas bancas!


Tudo bem que a Veja é tucana, assim como os portais iG, Terra e a Rede Record - do dono da Igreja Universal, bispo Edir Macedo são pró-petistas. Mas só basta R$ 8,50 para conferir se o que a revista de Roberto Civita publicou sobre a fábrica de dossiês, é ou não verdade.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Jornal Nacional desmonta versão do guia de Dilma sobre agressão a Serra

Militantes petistas agridem Serra. Lula afirma que é farsa, Dilma fala em firula


Ontem, quando caminhava pelas ruas de Campo Grande, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, o candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, foi hostilizado por militantes do PT, que vestiam camisetas e portavam bandeiras do partido.

Houve grande confusão e Serra chegou a ser atingido na cabeça por um objeto (bobina de fita adesiva? bolinha de papel?).

Conforme informações da Folha, uma repórter da Rede Globo também foi atingida na cabeça por uma pedra. Militantes do PSDB e do PT trocaram xingamentos e agressões sem que houvesse interferência da polícia. A caminhada tucana teve que ser interrompida. 

Hoje, o presidente Lula comparou o episódio com o ex-goleiro da seleção chilena, Roberto Rojas, que fingiu ser atingido por um sinalizador em 1989, em um jogo entre Brasil e Chile. 

Dilma, em compromisso de campanha no Rio Grande Sul, saiu-se com a mesmíssima metáfora. 

É por isso e por outras que continuo a votar na alternância, na oxigenação da máquina pública. Não tem a ver com a suposta bolinha de papel, ou com a utilização disso  ou daquilo por Serra. O que preocupa é o cárater reacionário assumido pela maior autoridade da República que, destilando ódio e vingança, não pondera o que pensa, simplesmente regurgita e fala.

Agora, diante do inexorável rodízio a que, a maioria - subpolitizada - do eleitorado brasileiro submeteu-nos (com esta de lulopetistas ou tucanos), penso que uma nação, dita democrática, não deve contentar-se com um governo, diga-se de passagem - populista, só porque arrosta uma pseudo-maioria no Congresso, quando - no fundo - sabemos todos, tratar-se de maioria artificial, oportunista, corrupta e falha.

Considero imprescindível a uma boa governabilidade e a uma boa governança, uma oposição forte. E o Partido dos Trabalhadores sabe bem fazê-la. O PT tem todas as condições para, agora com a responsabilidade que lhe faltou no passado (quando se contrapôs ao plano Real, à privatização da Telebrás e à Lei de Responsabilidade Fiscal da união, estados e municípios), pôr esse papel em prática. 

Por enquanto (e falo pensando até 2014), indignado com a falsa indignação do Lula e com a incitação que ele em todos desperta, reafirmo meu voto em José Serra.

Em encontro que contou com a presença de Dudu, a vinda de Dilma é confirmada


O coordenador da campanha da presidenciável Dilma Rousseff (PT) em Pernambuco, João Paulo (PT), anunciou nesta manhã (21), durante encontro com os prefeitos da Mata Norte, em Nazaré da Mata, a vinda da candidata Dilma Rousseff a Pernambuco na próxima terça-feira (26). De acordo com o petista, estão sendo definidos o local e o tipo de evento que será realizado para Dilma pela terceira vez no Estado durante esta campanha. 

O encontro com os prefeitos e lideranças da Mata Norte reuniu cerca de 600 pessoas e contou com a presença do governador Eduardo Campos (PSB), dos senadores eleitos Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro (PTB) e de 12 prefeitos da região. Ainda estiveram presentes os deputados federais com mandato e eleitos, como Danilo Cabral (PSB), Ana Arraes (PSB), José Chaves (PTB) e os estaduais Guilherme Uchoa (PDT), Alberto Feitosa (PR), Aluisio Lessa (PSB), Silvio Costa Filho (PTB), além vereadores e outras lideranças.

Para fortalecer a campanha de Dilma na Mata Norte, o governador Eduardo Campos convocou a militância para ir às ruas. “Estou contente em ver muita gente que estava acomodada no primeiro turno vir animada agora. Estamos juntos para que não seja interrompido o trabalho que está trazendo cidadania para os pobres do Brasil”, afirmou. O governador ainda destacou a biografia de luta e coragem de Dilma, que, segundo ele, vem desde os tempos de militante contra a ditadura, na década de 60.

Com informações de Kalinne Medeiros
da Assessoria de Comunicação do PT/PE

Cidade de Deus está entre os melhores filmes de ação da história do cinema


Segundo o Portal Cidade de Deus, o filme brasileiro foi considerado o 6º melhor filme de ação da história, em crítica publicada no jornal britânico The Guardian. Essa não é a primeira vez que Cidade de Deus aparece em listas entre as melhores produções do mundo.

O filme Cidade de Deus (2002), do diretor brasileiro Fernando Meirelles, foi incluído na sexta posição em uma lista com os 25 melhores filmes de ação de todos os tempos.

Desde o último sábado, os jornais The Guardian e The Observer vem publicando listas com os 25 melhores filmes que seus críticos consideram os melhores em sete gêneros, um por dia, entre eles ação, romance e policial.

O filme de Meirelles, que recebeu quatro indicações ao Oscar em 2004, divide a lista de filmes de ação com clássicos como Apocalypse Now (1979, do diretor Francis Ford Coppola), em primeiro lugar, Intriga Internacional (1959, de Alfred Hitchcock), em segundo, e Era Uma Vez no Oeste (1968, de Sergio Leone), em terceiro.

A lista também inclui o clássico de 1938 As Aventuras de Robin Hood, de Michael Curtiz e William Keighley, na 15ª posição, e sucessos contemporâneos como O Tigre e o Dragão, do diretor Ang Lee, lançado em 2000, na 9ª posição.

Goldfinger (1964), filme do diretor Guy Hamilton com o agente 007, é 17º na lista.

Os dez melhores filmes de ação, segundo o The Guardian:

1. Apocalypse Now (1979)
2. Intriga Internacional (1959)
3. Era Uma Vez no Oeste (1968)
4. Meu Ódio Será Sua Herança (1969)
5. Amargo Pesadelo (1972)
6. Cidade de Deus (2002)
7. Glória Feita de Sangue (1957)
8. O Salário do Medo (1953)
9. O Tigre e o Dragão (2000)
10. Além da Linha Vermelha (1998)

domingo, 17 de outubro de 2010

Um dos fundadores do PT, Hélio Bicudo declara voto em José Serra


O jurista Hélio Bicudo, vice-prefeito de São Paulo na gestão Marta Suplicy (PT), que acabou - em reeleição - derrotada nas urnas por José Serra, acaba de declarar o seu voto no tucano no 2º turno das eleições presidenciais. Um dos fundadores do autêntico Partido dos Trabalhadores, Hélio Bicudo elogia o trabalho de Serra como administrador, assim como o seu passado sem manchas, delegando ao presidenciável o caráter de bom exemplo e probidade. 

Hélio Bicudo afirma que "o continuísmo não é democrático" e a "alternância de poder é uma característica da democracia". "Se nós deixarmos que a candidata Dilma ganhe essas eleições, nós vamos ter aqui no Brasil, ainda que se diga que não, o sistema mexicano: um partido comandando o país durante 40, 50, 60, 70 anos, com todo esse passado de corrupção, que vai aumentando a cada momento em que esse mandato se torna maior."

Acompanhe!

sábado, 16 de outubro de 2010

No Dia do Professor, Geisy Arruda mostra a arte de transformar bullying em fama

 Edu Moraes / Record

Ex-estudante e agora empresária, Geisy foi clicada por fotógrafo de renome: Daniel Aratangy, na casa-ateliê do artista plástico, também fashion, Carlos Paez Vilaró, em cidade badalada - Punta del Este - no vizinho Uruguai.

Dentro de um vestido rosa ela se amostra toda, após participar de um reality. 

Deve ganhar seu milhão - logo, logo - de algum daqueles catálogos de borracharia.

Enquanto isso..., no Brasil, não tendo o que comemorar, o professor - como que num hábito "vulgar" e "fútil" - religiosamente, corrige provas, prepara planos de aula e vira prisioneiro em sua própria casa para a pouca mixaria, que muitas vezes percebe com atraso, não esboroar. 

Quer saber mesmo?!... Eu acho é pouco.

Quem manda não estudar?! Quem manda não seguir o "belíssimo" exemplo de Geisy?!

Pelé: 70 anos para colocar na moldura!


Prestes a completar 70 anos, Edson Arantes do Nascimento não pisa nos gramados há mais de três décadas. O homem que marcou 1.281 gols, e agora fatura no campo do marketing cerca de R$ 30 milhões anuais, não se deixou embevecer, nem pelo dinheiro, muito menos pela fama. Por isso, vai aqui meus parabéns. Pelé!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Por que para os aliados do prefeito Elias a vitória de Aglaílson na Câmara preocupa?

Presidente recém-eleito da Câmara, José Aglaílson,
 em campanha para o filho - Jr., circulando de quadriciclo

Quinta-feira. 14 de outubro de 2010.

O vereador José Aglaílson Querálvares (PSB) é eleito presidente da Casa Diogo de Braga (Câmara de Vereadores do Município de Vitória de Santo Antão).

Em favor do ex-prefeito pesaram os apoios dos aliados Geraldo Enfermeiro (PSB), Sylvio Gouveia (PSB), Dr. Saulo (PSB), Mano Holanda (PMDB) e André de Bau (PMN).

Ressentido, Novo da Banca (PSB) se absteve.

Frazão (PR), Everaldo Arruda (PSDB) e Irmão Duda (PSDC) votaram com o concorrente: Pedro Queiroz (PPS).

Resultado: passados 2 anos de mandato sem qualquer fiscalização e cobrança por parte da Câmara, o prefeito Elias Alves de Lira (DEM) vê agora a sua governabilidade ameaçada.

Logo agora!

Logo agora que teria início toda a sorte de pirotecnia, assim como: 

- o desnecessário ônibus de dois andares;
- a reconstrução da principal praça da cidade;
- e o loteamento calculado do bem público, com vistas a 2012.

Pois é..., a partir de hoje, as intenções do sr. Elias serão mensuradas e deverão passar, necessariamente, pelo crivo da mesa diretora da Câmara que, diga-se de passagem, é esmagadoramente oposicionista.

Ante cabeças abertas e sujeitos de horizontes democráticos, a notícia não poderia soar tão bem..., não poderia ser melhor.

Já imaginou...

Uma Câmara que regule o recurso público? Vereadores que coibam a vergonhosa prática daqueles que o desviam?

Bem..., mas não é o que se observa. Pois, atônitos, a esta hora, os subempregados (funções comicionadas) da Prefeitura já imaginam - em sobressalto (e aqui segue as minhas condolências!) - o impacto da mudança, o iminente revés, o olho da rua.

E esperneiam.

Chegam a gritar como felinas histéricas: "É golpe!".

E esbravejam.

De suas redações de fundo de quintal, passam horas escrevendo laudas a fim de contra-razoar o que só pode ser explicado com ações, não com palavras.

Parabéns, mestre Liba!


Não poderia deixar de registrar aqui o meu contentamento. Há pouco, assisti ao NETV que noticiou a volta de Liberato Costa Jr. (PMDB) à Câmara de Vereadores do Recife. No auge dos seus 92 anos de idade e 55 de vida pública, o vereador mais antigo do Brasil, assume, com a ida de Gustavo Negromonte (do mesmo partido) para a Assembleia Legislativa do Estado, a partir de 1º de janeiro, seu 11º mandato.

Apesar da idade avançada, ele mantém a pose. Caminha e fala bem, embora a dicção não seja das melhores. A sua mensagem, porém, sempre é ouvida com respeito. "Meu trabalho é mostrar ao povo o quanto é importante ser recifense. Mas os saltos mortais e os arranjos de campanha, eu não digo, senão os outros copiam", diz, com o seu bom humor característico.

Pela sua história, devo dizer que o Recife ganha. Parabéns!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Este blog repudia o que chamam de corrente do mal, mas não se conteve às caras da Dilma


nº 01 - Aborto
29/10/2010 - Dilma diz que é contra o aborto.
04/10/2007 - Dilma diz que é a favor da legalização do aborto.

nº 02 - Marina Silva
03/10/2010 - Dilma afirma ter poucas divergências com Marina.
12/05/2008 - Marina sai do PT e deixa governo por divergências com Dilma.

nº 03 - Erenice Guerra
12/09/2010 - Dilma diz não haver provas contra Erenice.
16/09/2010 - Erenice Guerra deixa governo após novas denúncias.

nº 04 - Relacionamento com a Imprensa
19/08/2010 - Dilma afirma que prefere críticas à censura em evento na ANJ.
20/09/2010 - Dilma se irrita com imprensa e ameaça processar jornal.

nº 05 - Carga Tributária
08/07/2010 - Dilma promete "zerar" a carga tributária sobre investimentos.
19/12/2010 - Dilma faz apelo pela manutenção da carga tributária.

nº 06 - Aeroportos
20/07/2007 - Dilma afirma que detrminou a construção de novo aeroporto em SP.
23/06/2010 - Dilma afirma que não será construído um novo aeroporto em SP.

nº 07 - Farc
23/07/2010 - Dilma critica quem diz que o PT tem relação com as Farc.
23/11/2006 - Dilma contrata funcionária ligada às Farc para o Ministério da Pesca.

nº 08 - Espionagem e dossiês
29/06/2010 - Dilma diz que não há provas da ligação de petistas em espionagem.
17/07/2010 - Ex-delegado confirma a participação de petistas e, meses depois, investigações comprovam a participação de petistas na quebra ilegal de sigilo fiscal.

nº 09 - Controle de Imprensa
29/06/2010 - Dilma diz ser contra projeto de controle de imprensa.
05/07/2010 - Dilma entrega ao TSE plano de governo propondo controle de imprensa.

nº 10 - MST
20/04/2010 - Dilma diz que "não é cabível" usar boné do MST.
24/06/2010 - Dilma discursa usando boné do MST.

nº 11 - Obras
09/03/2009 - Dilma participa de inauguração no RJ.
09/03/2010 - Obra inaugurada já existia e não contou com recursos federais.

nº 12 - Apagão
29/10/2009 - Dilma afirma que não haverá apagão.
10/11/2009 - Apagão atinge 18 Estados Brasileiros.

nº 13 - Lina Vieira
11/08/2009 - Dilma afirma que não ocorreu o encontro com ex-secretária da Receita Federal.
23/09/2009 - Lina Vieira reitera encontro e mais tarde apresenta agenda com o registro do encontro.

Neste Dia, parabéns a todas as Crianças!

Vivi, Toninho (filhos) e Manu (sobrinha)

Serra nega desvio de doação para campanha e chama de preconceituosa matéria da IstoÉ


Com informações de O Globo e Portal Terra

Há pouco, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, falou à imprensa, sobre a declaração da sua adversária, feita no debate da Band, Dilma Rousseff (PT), de que a campanha tucana teria sido alvo de desvio de recursos por parte do engenheiro Paulo Vieira de Souza, ex-funcionário da Dersa. O candidato Serra afirmou reconhecer o ex-diretor da empresa responsável pela construção do rodoanel, mas negou o fato e acusou a petista de tentar criar factóides para prejudicar a candidatura dele.

Serra garante que "em absoluto, não houve nada parecido". Ele também afirmou que a acusação contra o ex-diretor é "injusta" e assegurou não ter havido nenhum desvio por parte de ninguém em sua campanha. "Isso tinha sido uma bobagem que saiu numa reportagem de uma revista, inclusive, tratando Paulo Souza de maneira preconceituosa, com um apelido preconceituoso", afirmou, dizendo ainda que "só sabia que o engenheiro era muito competente e que nunca ouviu nenhuma acusação contra ele".

Questionado sobre o tom de ameaça da entrevista de Paulo à Folha, respondeu: "acho curioso dar para esse fato uma importância que, de fato, ele não tem". O candidato afirmou que não chegou a ler a entrevista. As respostas eram substituídas por ataques às afirmações de Dilma no debate. "Eu fico curioso porque a preocupação de Dilma Rousseff é com problemas internos da nossa campanha, enquanto a nossa preocupação com desvios é na Casa Civil, com o dinheiro público dos contribuintes".

Sobre o fato de não ter rebatido a acusação no debate de domingo, O presidenciável José Serra se explicou: "a candidata (Dilma) colocou isso no final de uma resposta dela (da tréplica) e eu não tinha, no momento seguinte, a palavra para falar". Depois de ser aplaudido por milhares de fiéis, no reduto paulista, em Aparecida, quando citado no sistema de som do santuário, em outra oportunidade, o tucano afirmou: "isso é fantasia pura e falta de assunto por parte da candidata".
***
Querem saber o que penso?

Utilizando-me de uma palavra ultimamente fácil na boca de Dilma, digo que Serra 'tergiversou!'

Se tivesse rebatido (de bate-pronto), quando instado por Dilma, não estaríamos aqui mencionando o fato. A verdade é que Serra hesitou. Não foi enfático. E, infelizmente, passadas 24 horas do debate da Band, parecia à procura da resposta certa para estancar a perda de credibilidade. Nesse episódio, claramente, Serra 'tergiversou'. E sem essa de que o imbróglio surgiu quando já estava esgotada a sua fala. Se de fato ele tivesse uma resposta convincente, teria pedido licença para dar-nos no bloco seguinte.

Pegou muito mal, também, a saída dos estúdios da TV Bandeirantes - à ocasião do debate, quando do torpedo petista - do senador eleito, e braço direito de Serra, Aloysio Nunes Ferreira. Amigo de Paulo Vieira de Souza, Aloysio demonstrou, com o gesto, àquela volta, querer fugir da imprensa. Pegou muito mal Serra dizer, num primeiro momento, que desconhecia Paulo. Quando afirmou que o conhecia, destacando-o - inclusive - como um sujeito competente e capaz, pareceu mais que o fez porque estava acuado.

Bem... a verdade é que Serra saiu-se menor neste episódio. Considerei mal ensaiado o seu discurso. Atropelado. Errou. Entretanto, do que estamos falando mesmo? Merece, concretamente, alguma relevância? Houve desvio comprovado? Se houve, foi de dinheiro com carimbo público? Por que Dilma não procurou exercer a sua cidadania em tempo? Por que não se posicionou antes do início da campanha? Seria, porventura, mais uma munição incomprovada para, assim como a quebra de sigilo na Receita, promover chantagem?

Respondo: é cortina de fumaça para omisiar a falcatrua de Erenice, para que esqueçamos o dinheiro na cueca do assessor do irmão de Genoíno, o mensalão de José Dirceu, o fisiologismo de Sarney, Renan e Collor; é novo mote para uma fatia da população ainda displicente e embevecida pelo elogiável marketing de uma candidata dependurada no carisma de Lula, um excepcional governante - especialmente para o Nordeste -, mas que se habituou a debochar das instituições, quando - no máximo - o que deveria fazer era, construtivamente, criticá-las.

Pois é... então... se é para esquecer de tudo isso. Por enquanto, é preferível ficar com o que disse Serra: é puro factóide.